VENCEDORES DO MÊS DE SETEMBRO DE 2017

Didi
Pug Charlotte
Dara - PetRun Floripa SC 3º lugar

Dicas e Curiosidades sobre cachorros - Filmes, Livros, Noticias, Reflexoes e Saúde

Existem 271 itens cadastrados.

O seu cão costuma soltar pum? E essa ação faz todos saírem de perto? Calma, acho que podemos te ajudar! Você já notou aquele odor nada agradável vindo do seu cachorro uma vez? E depois mais uma vez, e de novo, depois de novo e mais tarde de novo? O fato é que todos os cães peidam! Mas a frequência e intensidade com que esses agradáveis gases são proliferados é o que muda de um cão para outro, dependendo da saúde, alimentação e comportamento do cachorro. Mas de onde vem tantos gases?   1 Durante as Refeições Parte dos gases acumulados no seu cachorro são engolidos quando ele está comendo. E como sabemos, tudo que entra tem que sair de alguma maneira, e as vezes ele sai pelas portas do fundo, mas com o acréscimo de um aroma agradável adquirido através dos intestinos. E se seu cachorro come rápido demais, ele acaba engolindo mais gases e consequentemente libera mais gases também. Os cães braquicefálicos (os de focinhos curtos, como Boxers, Pugs e Buldogues), também acabam engolindo mais gases que os cães com o focinho mais longo na hora de comer.   E como fazer com que o cachorro coma mais devagar? Você também pode colocar uma bolinha dentro da tigela, isso vai fazer com que ele tenha que movimentar a bolinha para chegar até a comida, isso certamente fará com que ele coma mais devagar. E se você tiver tempo, pode entregar a ele o alimento aos poucos, pedindo para que ele execute tarefas para ganhar a comida. É uma brincadeira divertida e que estreita a ligação sua com seu cachorro.   2 Gás produzido a partir do processo digestivo Muitas vezes, o excesso de gases está associado ao processo digestivo. Em pequenas quantidades é normal, pois como falamos, são subprodutos da digestão do seu cachorro. Mas quando esses gases são excessivos, além de tornar um problema para nossos narizes, também pode ser considerado um sinal de alerta de que as coisas não estão funcionando bem. Fique de olho no alimento que você está oferecendo ao seu cachorro, dê sempre preferência por alimentos super-premium. Quanto maior a qualidade do alimento, mais fácil é sua digestão e consequentemente tendem a produzir menos gases. Se seu cachorro tiver outros sintomas além do excesso de gases, como ruídos intestinais, diarreia, retenção de fezes, ou vômitos, pode haver algo errado e o melhor a fazer é entrar em contato com seu veterinário.

LEIA MAIS >

O seu cão costuma soltar pum? E essa ação faz todos saírem de perto? Calma, acho que podemos te ajudar! Você já notou aquele odor nada agradável vindo do seu cachorro uma vez? E depois mais uma vez, e de novo, depois de novo e mais tarde de novo? O fato é que todos os cães peidam! Mas a frequência e intensidade com que esses agradáveis gases são proliferados é o que muda de um cão para outro, dependendo da saúde, alimentação e comportamento do cachorro. Mas de onde vem tantos gases?   1 Durante as Refeições Parte dos gases acumulados no seu cachorro são engolidos quando ele está comendo. E como sabemos, tudo que entra tem que sair de alguma maneira, e as vezes ele sai pelas portas do fundo, mas com o acréscimo de um aroma agradável adquirido através dos intestinos. E se seu cachorro come rápido demais, ele acaba engolindo mais gases e consequentemente libera mais gases também. Os cães braquicefálicos (os de focinhos curtos, como Boxers, Pugs e Buldogues), também acabam engolindo mais gases que os cães com o focinho mais longo na hora de comer.   E como fazer com que o cachorro coma mais devagar? Você também pode colocar uma bolinha dentro da tigela, isso vai fazer com que ele tenha que movimentar a bolinha para chegar até a comida, isso certamente fará com que ele coma mais devagar. E se você tiver tempo, pode entregar a ele o alimento aos poucos, pedindo para que ele execute tarefas para ganhar a comida. É uma brincadeira divertida e que estreita a ligação sua com seu cachorro.   2 Gás produzido a partir do processo digestivo Muitas vezes, o excesso de gases está associado ao processo digestivo. Em pequenas quantidades é normal, pois como falamos, são subprodutos da digestão do seu cachorro. Mas quando esses gases são excessivos, além de tornar um problema para nossos narizes, também pode ser considerado um sinal de alerta de que as coisas não estão funcionando bem. Fique de olho no alimento que você está oferecendo ao seu cachorro, dê sempre preferência por alimentos super-premium. Quanto maior a qualidade do alimento, mais fácil é sua digestão e consequentemente tendem a produzir menos gases. Se seu cachorro tiver outros sintomas além do excesso de gases, como ruídos intestinais, diarreia, retenção de fezes, ou vômitos, pode haver algo errado e o melhor a fazer é entrar em contato com seu veterinário.

LEIA MAIS >

Assim como os humanos, os cachorros também usam linguagens corporais. Deitar no chão quando vê outros cães é uma delas, ou seja, uma “solicitação” para brincar. Outra linguagem é quando as patas da frente inclinam-se para baixo e as de trás não, significa que é uma reverência para brincar.  Importância da socialização Muitas vezes seu cão não entende o que o outro cachorro quis dizer com aquele movimento e responde com medo. Por isso, especialistas orientam aulas de socialização para filhotes. Assim, ele terá experiências agradáveis com outros de sua espécie desde pequeno e com frequência.

LEIA MAIS >

Os cães podem se coçar, lamber ou morder por inúmeras razões. Elas vão de alergias, tédio até infestação de parasitas:   • Alergias: Quando a coceira é extrema e tende a sair do controle, frequentemente, a culpa é de uma provável alergia a comida ou agentes ambientais, incluindo mofo e pólen. Os cães podem também desenvolver irritações na pele, as chamadas dermatites de contato, isso acontece quando convivem com substâncias mais agessivas, como pesticidas, produtos de limpeza ou até mesmo sabão.   • Ansiedade:  Assim como algumas pessoas, que tendem a ser ansiosas, podem roer as unhas, os cães podem ter respostas físicas para distúrbios psicológicos. Na verdade, alguns cães desenvolvem uma doença semelhante ao transtorno obsessivo compulsivo humano. Ele pode se manifestar como coceiras, lambidas ou mordidas que podem causar danos graves.   • Desequilíbrios hormonais:  Se o corpo do seu cão não estiver produzindo hormônios da tiróide suficientes ou eliminando muito cortisol, infecções de pele podem ocorrer. Você pode notar manchas pequenas e vermelhas e seu cão pode coçar ou lamber como se estivesse incomodado por alergias. • Pele seca:  Uma variedade de fatores, incluindo tempo frio e deficiências de ácidos graxos, podem ressecar a pele do cachorro. Seu cão pode reagir ao desconforto coçando ou lambendo a pele e o pelo.   • Dor:  Ao tentar determinar por que seu cão está lambendo ou mordendo excessivamente, considere a possibilidade de que algo esteja causando desconforto físico. Por exemplo, se você reparar que seu cão morde a pata repetidamente, ele pode ter um espinho ou um pedaço de pedra preso na pata. Morder ou lamber compulsivamente pode ser também uma reação a problemas ortopédicos, incluindo dor nas costas e displasia do quadril.   • Parasitas: Entre as causas mais comuns para a compulsão de lamber, morder ou coçar, estão as pulgas, carrapatos, e ácaros. Embora os carrapatos costumem ser visíveis a olho nu, as pulgas só são visíveis se houver grande infestação e os ácaros são microscópicos. Assim, não conclua que seu cão não sofre de parasitas só porque não pode vê-los.  

LEIA MAIS >

Os cachorros podem transportar doenças que prejudicam os seres humanos. Raiva, uma doença neurológica fatal, é a mais famosa. Hoje existem vacinas, exigidas por lei na maioria dos estados, que podem interromper sua disseminação. Em alguns casos, alimentos para cães podem causar intoxicação alimentar em humanos, devido à contaminação pela bactéria Salmonella. Há também um estudo que descobriu que o homem pode contrair o parasita nematóide Toxocara canis apenas por afagar a pele de cães infectados. A lombriga, que cresce nos intestinos de cães, pode crescer na parte de trás do olho em seres humanos, causando cegueira. Elas podem também fixar residência no fígado e nos pulmões humanos. Tais infecções em humanos são raras, e cuidados veterinários adequados podem garantir que os cães fiquem livres delas. Ainda assim, os veterinários dizem que higiene é importante para proprietários de cães. Todos devem lavar as mãos antes das refeições ou depois de fazer carinho no seu animal.

LEIA MAIS >

Seu cachorro parece dormir muito? Ou pouco? Será que ele está doente? Como é o sono do seu cão? Antes de dizer quantas horas um cão deve dormir, precisamos lembrar que eles, assim como nós, possuem características únicas. Um é diferente do outro! Há os mais agitados, os mais quietos, os que comem mais, os que comem menos, os que adoram água e os que detestam… e há os que adoram dormir e os que dormem pouco. Exatamente como nós, seres humanos.   E o que determina o sono dos cães? A raça, a idade, o estilo de vida. Mesmo o fato de ser sozinho ou ter companhia de outro cão influencia isso – você também dormiria mais de estivesse sozinha o dia todo num apartamento, sem muito o que fazer.   E até mesmo a estação do ano: ou você pensa que apenas você quer dormir mais no inverno? Ah, você está de brincadeira! No frio todo mundo quer ficar no quentinho, dormindo mais!   Aliás, nos dias mais frios, é bom reservar um lugar adequado ao seu pet. Pegue um cobertor velho e dê para ele, use uma camiseta antiga para vesti-lo, mude sua casinha de lugar, onde haja menos circulação de ar – são boas sugestões.

LEIA MAIS >

Nos transformamos naquilo que vemos no olhar dos nossos animais de estimação, nos tornamos seu reflexo. Dizem que o olhar do nosso pet é o melhor espelho para ver o reflexo das nossas próprias almas. É uma verdade tão verdadeira que merece a nossa atenção. Se algum de seus animais se esquiva e o seu olhar tem o reflexo do medo, sabemos que algo não anda bem. O temor se nutre de um impacto emocional negativo. Agora, poucas coisas podem ser tão terapêuticas quanto chegar em casa desanimado e, de repente, nos vermos refletidos no olhar do nosso próprio cão ou  gato. É como se nos abraçassem e nos dissessem que “vai dar tudo certo”. E você tem certeza que tudo, realmente, dará certo. Para nossos animais somos a coisa mais bela do seu mundo e isto não se refere apenas à necessidade de alimento. Eles também precisam receber afeto. O olhar de um animal serve de espelho para fomentar nossa “autoaceitação”. Seus olhos sinceros nos oferecem outra perspectiva com a qual relativizar os problemas, ansiedades e o estresse. É suficiente abraçá-los e logo o mundo volta ao seu equilíbrio. Essa dose maravilhosa de ocitocina que nossos animais de estimação nos dão nos permite reconectar-nos com a realidade. Conjugar o afeto com o sonho para vencer as nuvens cotidianas com mais segurança. Porque todos estamos “um pouco adormecidos” até termos descoberto o que é amar um animal.

LEIA MAIS >

Certamente que alguma vez reparou que o seu cachorro tentou fugir ou virou a cabeça quando você o tentou abraçar. Nesse momento deve ter-se perguntado por que o meu cão não gosta que o abrace?   O psicólogo Stanley Coren publicou um artigo na revista Psychology Today chamado The data Says “Don’t Hug the Dog!” afirmando que efetivamente, os cães não gostam que os abrace. Ele apresentou uma série de 250 fotografias de pessoas abraçando seus cães e em 82% delas os cães mostravam algum sinal de fuga. Coren explicou que estes animais têm uma capacidade de reação e funcionamento muito rápidos. E que eles precisam conseguir escapar correndo quando se sentem em perigo ou encurralados. Isto quer dizer que quando os abraçamos, eles sentem-se bloqueados e presos. Não têm essa capacidade de poder escapar caso aconteça alguma coisa. Assim sendo, a sua primeira reação é correr e não podem fazê-lo. Por isso, é normal que alguns cães tentar morder para se libertarem. Dar carinho ao seu cão é o melhor que pode fazer para reforçar o vínculo. Mas deve fazê-lo de forma que não lhes cause medo, estresse ou ansiedade. Pode sempre acarinhá-lo para que relaxe, escovando o seu pelo ou brincando com ele para lhe demonstrar o seu amor. Siga os seguintes pontos para deixar de se perguntar, por que o meu cachorro não gosta que o abrace? – Aproxime-se dele com calam e fazendo movimentos suaves para que não fique alerta; – Deixe que veja como se aproxima para não se assustar; – Deixe que cheire a sua mão, com a palma da mão aberta; – Sente-se ao seu lado tranquilamente. Pratique a manipulação em diferentes partes do corpo, sempre de forma progressiva e ajudando-o com prêmios se for necessário, para que associe as mãos a algo positivo. Passa com suavidade o braço por cima do seu lombo e dê um carinho. Também podem esfregá-lo calmamente, sem o apertar.

LEIA MAIS >

Muitos donos se perguntam o motivo que fazem os cães ficarem com a língua de fora por tanto tempo. A língua auxilia o cachorro em vários aspectos. Uma das principais funções é controlar a temperatura do corpo, pois o cão não transpira pela pele, como as pessoas fazem. Dessa maneira, ele fica com ela de fora para respirar e soltar o ar quente de seu pulmão. Sendo assim, essa característica canina não é vista somente quando bichinho está cansado, mas quando ele precisa resfriar o corpo. O cão também tende a ficar com a língua de fora quando se vê em uma situação desconfortável. Ele fica nervoso, seu corpo aquece e automaticamente ele coloca ela para fora. Como outros animais, o cão costuma também lamber os machucados, porque a saliva pode ajudar a limpar a ferida. Isso requer atenção, pois se ele passar a língua muitas vezes na mesma região, pode aumentar ainda mais o machucado. O que pode ser preocupante para o agravamento do ferimento. Por isso, se o seu cão tem o costume de fazer isso, proíba-o ou coloque alguma gaze e/ou pomada na região, para evitar que ele volte a lamber. Com a língua, o cachorro consegue sentir o sabor dos alimentos, conhecer o ambiente e se expressar. Além disso, o órgão tem o papel de ajudar na mastigação. Em uma demonstração de carinho, afeto e respeito, o cão também costuma lamber seu dono. Porém, pode ser um sinal de que ele deseja um pouco mais de atenção.

LEIA MAIS >

Cerca de 30% dos animais estão acima do peso. Por isso, separamos algumas recomendações para você poder evitar a obesidade canina no seu cão: 1) Observe tudo que o animal come durante o dia; 2) Reduza de 20 a 40% o valor energético da sua ração, mas sem diminuir o volume; 3) Fracione a ração ao longo do dia; 4) Utilize ração especial, como por exemplo, alimentos dietéticos; 5) Dispense as guloseimas, nada de biscoitos; 6) Faça o animal tomar muita água; 7) Imponha um exercício físico regular; 8) Estabeleça uma “dieta” junto com o veterinário; 9) Observe os progressos obtidos marcando tudo e utilizando uma balança; 10) Quando se encontrar em forma, mantenha o regime para evitar recaídas. Diferente de nós, os cachorros comem o que servem para eles, então, deve-se ter muito cuidado com a quantidade de comida que é dada para o animalzinho. Saiba as consequências que a obesidade canina causa: Risco aumenta em cirurgias: Nesse caso, aumenta a dose de anestesia e se tem menos visibilidade dos órgãos envolvidos por massa gorda; Maior pressão sobre os órgãos: Os órgãos aumentam os ritmos de atividades para manter o volume de massa do animal; Agravamento de doenças articulares: O aumento de peso faz com que o cão tenha de forçar mais as articulações para se poder movimentar. A artrite, pode-se desenvolver devido ao aumento da pressão. Desenvolvimento de problemas respiratórios: Com a obesidade, os cães têm menos espaço para os pulmões encherem de ar. Desenvolvimento de diabetes: É uma doença sem cura que pode obrigar a receber injeções diárias, podendo levar à cegueira. Aumento de pressão sanguínea: O coração tem de aumentar a sua capacidade de distribuição de sangue a muitos mais sítios que se foram criando com a acumulação de massa. Aumento da probabilidade de desenvolver tumores: O desenvolvimento de câncer é relacionado com a obesidade; Perda de eficácia do sistema imunológico: As doenças virais parecem afetar de forma mais agressiva os cães com excesso de peso. Problemas gastrointestinais: Em cães obesos, diarreia e o aumento de flatulência ocorrem com mais frequência.

LEIA MAIS >

Chocolate é altamente tóxico para seu cão. Você não deve oferecer esse doce para ele de maneira alguma. Mas e se ele comeu sem você saber? E se caiu no chão e ele acabou pegando? Caso você presencie a ingestão do chocolate siga as seguintes instruções: 1- Retire imediatamente o chocolate de perto do cachorro; 2- Mantenha o animal em uma área ventilada; 3- Guarde o resto de chocolate para mostrar ao veterinário; 4- Se o cachorro ingeriu grande quantidade leve ao veterinário o mais rápido possível; 5- Dê o máximo de informação à ele, quantidade ingerida e a hora; 6- Não induza o cachorro ao vômito; 7- Não ofereça remédios caseiros. Não é aconselhável esperar os sintomas aparecerem para levar seu cão ao veterinário. Os sinais de envenenamento podem variar. Se um cachorro de 30 kg ingerir 200g de chocolate ele pode apresentar vômito e diarreia. Se for 500g é possível que ele tenha problemas cardiovasculares, com a frequência cardíaca aumentada. Se comer 750g ele poderá ter convulsões.  Muitas vezes não é possível mensurar a quantidade ingerida, por isso é melhor pecar pelo excesso de cuidado e levar o cão ao veterinário. Prezamos sempre pela informação, e por isso, queremos despertar a consciência de que esse doce pode realmente ser muito perigoso. Algumas pessoas acreditam que um pouquinho não faz mal, ou que em datas comemorativas o cãozinho merece um presentinho. É importante informar parentes, amigos e crianças, pois em datas festivas as famílias recebem pessoas em casa, e podem não ter conhecimento sobre a toxicidade do chocolate, não vendo mal em oferecer ao cachorro. Oriente também cuidadores que possam ficar com o animal enquanto você não estiver presente.

LEIA MAIS >

Se você não entende as atitudes do seu cachorro fique calmo, você não está sozinho. A lógica canina, assim como a dos gatos, é muito diferente da nossa e são poucos os humanos que conseguem entender. Por isso, resolvemos tentar desvendar um pouco dessa lógica canina para vocês. 1- É muito importante para eles estar ao nosso lado sempre. E isso inclui a hora que estamos no banheiro. Afinal, o vaso sanitário e o chuveiro podem ser muito perigosos. “Vai saber o que eles podem fazer… Preciso te proteger!”   2- São muito bons com cálculo de espaço. “Se eu fizer só mais um pouco de força vai sair no lugar certo…”. Só que não!   3- Eles adoram ficar extremamente fofos quando estão dormindo. E isso faz com que você não o acorde! Essa tática é muito usada principalmente quando estão dormindo em um lugar que não deveriam.   4- São muito obedientes. “Veja que não estou no sofá. Como você pode ver, minhas patas estão no chão, ó!”   5- Tudo pode ser comível. Inclusive, é claro, seus sapatos, suas roupas, as sacolas de compra, caixas de papelão então…   6- Se você encontrar uma chance de se sujar não desperdice isso. Principalmente se você acabou de tomar banho, essa é a melhor hora para se sujar e voltar a ficar sujinho!   7 – Se algo parecer uma ameaça, destrua! “Você não faz ideia do quanto aquele travesseiro parecia perigoso!”   8- Faça uma carinha como essa da foto quando for ao veterinário. Isso faz com que seu humano leve você para casa imediatamente (bom, na verdade isso nunca funcionou, mas você tem outra ideia?).   9- Tenha alguns hábitos parecidos com os dos seus humanos. “Deve haver uma boa razão para eles perderem tanto tempo olhando para esse painel colorido.”   10- Dormir é uma arte. E essa arte só os cães entendem. É avançado demais para o entendimento de meros humanos mortais.

LEIA MAIS >

Publicidade

Gerao Pet

Cadastre-se e receba ofertas exclusivas!